O seu filho come bem?

TartinerNa live desta semana no perfil da Tartiner, conversei com a nutricionista e mãe Paula Valansi, sobre alimentação infantil. 

Quem me acompanha nas redes sociais sabe que tento educar e conscientizar ao máximo as Ogrinhas sobre a importância de um estilo de vida saudável. Com apenas cinco anos, elas já conhecem os alimentos que fazem bem à saúde e aqueles que devem ser evitados ou consumidos com moderação. 

Eu já contei aqui que não proíbo nada além de refrigerante. Mas também não compro “besteiras” para ter em casa. Na nossa despensa, não há chocolates, biscoitos, chips nem qualquer produto ultraprocessado. No entanto, em festas ou ocasiões especiais, libero doces numa boa. Só peço para não exagerarem. 

Bons hábitos alimentares se constroem na infância e o exemplo dos pais influencia muito na relação das crianças com a comida. A boa notícia é que nunca é tarde demais pra mudar! 

Veja algumas dicas para melhorar os hábitos alimentares da família. 

- Quando a criança diz que não gosta de um determinado alimento, tente prepará-lo de diferentes formas. Por exemplo, o espinafre: pode ser feito em creme, suflê, refogado na manteiga, no recheio de uma massa ou empadão... Negocie com seu filho para que ele experimente as opções e dê uma chance para que aquela verdura ou legume possa entrar no cardápio de um jeito novo. 

- Não force a criança a comer sem fome ou terminar o prato. Ela pode parar quando estiver satisfeita. Ninguém precisa ficar de barriga cheia para sair da mesa. Se sobrar comida, guarde na geladeira para depois. 

- Na hora do lanche, ofereça primeiro uma opção saudável, como fruta com oleaginosas ou pastinha de nuts. Evite os industrializados ultraprocessados. A Paula ensina no perfil dela (@desacostuma) várias receitas de bolos e outros doces caseiros, que podem ser feitos junto com as crianças. 

- Dê o exemplo e se alimente de forma saudável. Não adianta ensinar uma coisa para o seu filho e fazer outra na frente dele. Nada de comer algo que ele não possa. Ou manter produtos “proibidos” na despensa. A família toda deve jogar no mesmo time. 

- Evite associar comida à recompensa ou reconforto. Não use guloseimas como moeda de troca para que seu filho faça algo que você deseja ou para premiá-lo por alguma conquista. 

- Mesmo que seu filho esteja acima do peso, não trate a mudança de hábitos como uma estratégia de emagrecimento. Busque focar sempre na saúde e no bem-estar que a alimentação saudável proporciona.

- Incentive atividades físicas diárias. A criança precisa se mexer e gastar energia. Ela deve escolher pelo menos um esporte para fazer com frequência. O exercício melhora o metabolismo e regula o apetite.

Se você tiver outras ideias e sugestões para lidar com essa questão, compartilhe comigo! Vou adorar conhecer outras experiências.

Bjs, Joana

Comentários